fbpx

Cirurgia Vascular

A cirurgia vascular é um procedimento que, quando o paciente possui prescrição para realizá-la, é capaz de melhorar a qualidade de vida – e a saúde – consideravelmente.

Trata-se do ramo da medicina que trata os vasos sanguíneos, incluindo sistema linfático, artérias e veias.

Uma aplicação muito comum para o procedimento são os casos de varizes, que, por sua vez, podem causar extremo desconforto, dor, câimbra, sensação de peso e inchaço nas pernas, coceira e dormência na região afetada.

Até há algum tempo, a única opção que se tinha à disposição para tratar cirurgicamente varizes era a cirurgia tradicional, em que se removia a safena. No entanto, atualmente dispomos de recursos altamente tecnológicos, capazes de tornar o procedimento minimamente invasivo.

Como é feita a cirurgia vascular?

De modo geral, a cirurgia vascular tem como objetivo principal corrigir problemas relacionados às veias, as artérias e ao sistema linfático, melhorando o fluxo sanguíneo e restaurando a capacidade circular do paciente.

No entanto, existem diferentes tipos de cirurgia vascular. O método empregado pode impactar diretamente na recuperação e no conforto do paciente.

Há, portanto, a cirurgia convencional, em que o cirurgião retira a safena (procedimento conhecido como safenectomia), e há as cirurgias minimamente invasivas.

Embora ambas proporcionem resultados satisfatórios e duradouros, as opções minimamente invasivas são a evolução da safenectomia, pois são menos agressivas, mais rápidas e causam menos chances de complicações no período pós-operatório.

A cirurgia vascular minimamente invasiva é feita por radiofrequência, de modo a causar ablação nas veias varicosas.

Cirurgia Vascular por Ablação (Radiofrequência)

A ablação por radiofrequência é um procedimento minimamente invasivo que usa energia de radiofrequência para tratar as veias problemáticas que causam as varizes. 

Durante o tratamento, o calor é enviado às veias por meio de um fluxo fino e flexível, que interrompe o fluxo sanguíneo e redireciona o sangue para veias mais saudáveis.

Normalmente se recorre a esse procedimento para tratar uma veia safena incompetente. 

Isso inclui a veia safena magna, que corre ao longo da parte interna da coxa e da panturrilha, e a veia safena menor, que corre ao longo da parte posterior da panturrilha. 

Essas veias são longas e responsáveis ​​pela circulação do sangue das pernas para outras partes do corpo. 

Se essas veias não funcionarem corretamente, pode levar ao desenvolvimento de veias varicosas – veias retorcidas, inchadas e descoloridas – devido ao aumento da pressão. 

Desse modo, a RFA permite corrigir o problema aquecendo as paredes da veia safena com energia de radiofrequência, corrigindo o refluxo do sangue e fechando o suprimento de veias varicosas. 

Isso força o sangue para veias mais saudáveis, fazendo com que as varizes desapareçam.

Como surgem as varizes?

As varizes são veias “torcidas” e expandidas. Qualquer veia superficial pode apresentar varizes, mas as veias mais comumente afetadas são as das pernas. 

Isso porque ficar de pé e andar ereto aumenta a pressão nas veias da parte inferior do corpo.

Para muitas pessoas, as varizes e as veias da aranha (vasinhos) – uma variação leve e comum das veias varicosas – são simplesmente uma preocupação estética. Para outras pessoas, as varizes podem causar extrema dor e desconforto. 

Às vezes, as veias varicosas levam a problemas mais sérios.

Válvulas fracas ou danificadas podem causar varizes. As artérias transportam sangue do coração para o resto dos tecidos, e as veias devolvem o sangue do resto do corpo para o coração, para que o sangue possa ser recirculado. 

Para devolver o sangue ao coração, as veias das pernas devem trabalhar contra a gravidade.

As contrações musculares na parte inferior das pernas agem como bombas, e as paredes elásticas das veias ajudam o sangue a retornar ao coração. 

Desse modo, minúsculas válvulas nas veias se abrem conforme o sangue flui em direção ao coração e se fecham para impedir que o sangue flua para trás. 

Se essas válvulas estiverem fracas ou danificadas, o sangue pode retro fluir e se acumular na veia, fazendo com que as veias se estiquem ou se torçam.

Fatores de risco

Esses fatores aumentam o risco de desenvolver varizes e levar à cirurgia vascular:

    • Idade. O risco de veias varicosas aumenta com a idade. O envelhecimento causa desgaste nas válvulas das veias que ajudam a regular o fluxo sanguíneo. Eventualmente, esse desgaste faz com que as válvulas permitam que um pouco de sangue flua de volta para as veias, onde é coletado, em vez de fluir para o coração.
    • Sexo. As mulheres têm maior probabilidade de desenvolver a doença. As alterações hormonais antes da menstruação ou durante a gravidez ou menopausa podem ser um fator, porque os hormônios femininos tendem a relaxar as paredes das veias. Os tratamentos hormonais, como pílulas anticoncepcionais, podem aumentar o risco de veias varicosas.
    • Gravidez. Durante a gravidez, o volume de sangue em seu corpo aumenta. Essa mudança ocorre para proporcionar o crescimento do feto, mas também pode produzir um efeito colateral infeliz – veias dilatadas nas pernas. As alterações hormonais durante a gravidez também podem desempenhar um papel.
    • Histórico familiar. Se outros membros da família tiverem veias varicosas, há uma chance maior de você também ter.
    • Obesidade. O excesso de peso aumenta a pressão nas veias.
    • De pé ou sentado por longos períodos de tempo. Seu sangue não flui tão bem se você ficar na mesma posição por longos períodos.

Complicações

Quando um paciente possui varizes, tem aplicação para a cirurgia vascular, mas negligencia o tratamento, pode ser acometido por algumas complicações, incluindo:

    • Úlceras. Úlceras dolorosas podem se formar na pele perto das varizes, principalmente perto dos tornozelos. Uma mancha descolorida na pele geralmente começa antes da formação de uma úlcera. Consulte seu médico imediatamente se você suspeitar que desenvolveu uma úlcera.
    • Coágulos de sangue. Ocasionalmente, as veias profundas das pernas aumentam de tamanho. Nesses casos, a perna afetada pode ficar dolorida e inchada. Qualquer dor persistente nas pernas ou inchaço requer atenção médica porque pode indicar um coágulo sanguíneo – uma condição conhecida clinicamente como tromboflebite.
    • Sangramento. Ocasionalmente, as veias muito próximas à pele podem estourar. Isso geralmente causa apenas um pequeno sangramento. Mas qualquer sangramento requer atenção médica.

 

O paciente, portanto, não tem controle sobre o surgimento de varizes, a não ser contornar os fatores que o tornam mais propensos a isso (como falta de exercício físico e ficar longo período na mesma posição), no entanto, cabe a ele procurar profissionais qualificados que empreguem o melhor tratamento para o quadro.

No Hospital Certa realizamos a cirurgia vascular minimamente invasiva, com altíssima eficiência e resultados, mas com o mínimo de desconforto para que o paciente não precise passar por um longo e desgastante período de recuperação pós-operatório.